ARABESQUE

ARABESQUE
Em passos de arabesque escrevo

10.5.11



além do azul



nas zonas de sombra
o que não foi efêmero

além do azul
flutua nas minhas mãos

curva do infinito a me escorrer na pele

buscando-te além do poema
naquilo que não foi dito

errantes miragens
que jamais descobriremos.


© Jade Dantas

2.5.11




aragem

a poesia canta em minhas mãos
na inevitável dança que a palavra completa

sou dela, sou poeta
escrevo movida por sua voz

de essência, sina, miragem
brotando-me das mãos

sua canção tem asas de seda e leveza de borboleta
pousa suavemente nas palavras

incitando-as a voar
na intensidade das coisas seduzidas


© Jade Dantas