ARABESQUE

ARABESQUE
Em passos de arabesque escrevo

22.8.10




invasão

sou tua
da pele que registra
lembranças a sentir-te o sabor
presente em minha língua

do que em nós era acalanto
mesmo apenas palavras
a me apagar as rupturas

do que me envolve e continua a transbordar
opondo-se aos nãos dos devaneios
em meio às tardes mornas aliciando sonhos

do desejo intenso com que te respiro pelas noites
querendo-te sempre, as pernas entre as minhas
do que ainda é arrepio quando a lembrança seduz

das pequeninas coisas tuas que sempre serão minhas
da tua voz que me invade os pensamentos
do que poderia ser diferente

©Jade Dantas

3 comentários:

  1. Um poema de rara beleza.
    A estrofe final é uma obra prima.
    Parabéns.

    beijo.
    Lustato.

    ResponderExcluir
  2. Volte mesmo, Eduardo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir